27 fotos emocionantes que retratam encontros de famílias adotivas

Paternidade e maternidade requerem amor e não DNA. Para sensibilizar e homenagear aqueles que se tornaram pais através de adoção o Huffingtonpost criou uma lista de fotos para compartilhar histórias de adoção.

Se emocione com mães, pais , irmãos e filhos  que se uniram como famílias.

adocaoadocaoadocaoadocaoadocaoadocaoadocaoadocaoadocao

Clique aqui para ver a lista completa.

Fonte: https://catracalivre.com.br/geral/catraquinha/indicacao/27-fotos-emocionantes-que-retratam-encontros-de-familias-adotivas/

http://www.huffingtonpost.com/2014/11/10/adoption-photos_n_6064110.html

Anúncios

A importância de um grupo de apoio a adoção

Boa tarde pessoal,

Muito bom o vídeo da psicóloga Cintia Liana, recomendo!!!

 

Sobre a Cintia Liana:

Psicóloga e psicoterapeuta, formada em 2000 pela PUC-Campinas. É especialista em psicologia conjugal e familiar pela faculdade Ruy Barbosa. É autora do livro “Filhos da Esperança” e chamada carinhosamente de “Fada da Adoção”. Desde 2002 trabalha com adoção. Foi perita do Tribunal de Justiça do Estado da Bahia na Vara da Infância e Juventude de Salvador e coordenadora do Serviço de Psicologia por 4 anos, e mais 4 como voluntária. Fez parte da equipe que fundou o Grupo de trabalho de defesa dos direito da criança e do adolescente (GTDDCA) do Conselho Regional de Psicologia Região Bahia/Sergipe. Lidera grupos onde fomenta a amizade entre famílias adotivas, fortalecendo os laços de apoio. É criadora e moderadora do grupo “Psicologia e Adoção”, existente desde março de 2007. Contribue em pesquisas e monografias no Brasil e em Portugal. Após conquistar credibilidade e admiração no Brasil, foi convidada em 2010 para atuar na Itália, na Senza Frontiere ONLUS – Adozioni Internazionali. Já cedeu a dezenas de entrevistas e é citada em diversos jornais, revistas, programas de TV, portais da internet, livros e teses. O seu blog recebe mais de 14.000 acessos ao mês.

Fonte: http://psicologiaeadocao.blogspot.com.br/2014_02_01_archive.html

Pai por opção

Como a adoção mudou a vida de Marcello Antony, Zeca Pagodinho, Caio Blat e outros famosos.

Um dia, o ator Marcello Antony virou-se para a mulher, Mônica Torres, e perguntou se o amor que ela sentia pelos filhos Francisco, 3 anos, e Stephanie, 5, ambos adotados, era diferente do que aquele que se sente por um filho natural. Ela, que é mãe biológica de Isabel, fruta de seu casamento com o ator José Wilker, respondeu que não. ‘A Mônica me disse que era a mesma coisa, intensa e apaixonante. Entendi que amor é amor, e pronto. Não lembro que eles são adotados. Só lembro que são meus filhos’, diz Antony. O ator faz parte de um grupo de homens que escolheu a adoção para realizar o desejo da paternidade. No seu caso, como em muitas outras histórias, a idéia surgiu por causa da impossibilidade de ter filhos naturais. Antony e Mônica tentaram engravidar quatro vezes, todas sem sucesso, afirmam, devido a uma incompatibilidade sanguínea. ‘Quando optamos por adotar, achava bacana ter uma criança em casa e poder mudar o destino incerto de alguém. Mas não é nada disso. Eles é que fizeram muita coisa por mim, eles é que me fazem um bem enorme. Sinto-me até um pouco egoísta por causa disso’, diz o ator, que vai passar seu primeiro Dia dos Pais ao lado de Stephanie, adotada em outubro do ano passado. Francisco já é veterano no coração de Antony. Adotado aos 9 meses de idade, ele foi o responsável pela emoção do ator ao ouvir pela primeira vez a palavra papai. ‘Eu e Mônica estávamos brincando com ele quando ele virou para mim e falou ‘papai’. Direitinho. A Mônica ficou possessa, porque ela estava sempre com o Francisco, mas ele preferiu prestigiar o paizão primeiro’, diverte-se.

Imagem

Fonte: http://blogdajussarajatoba.blogspot.com.br/