Contato

Olá,

Eu me chamo Luciane e sou autora do blog “Gravidez Invisível”.

Em Abril de 2011, eu e meu marido entramos com o processo de adoção. Após a entrega da documentação, fomos chamados para várias entrevistas. Em Setembro do mesmo ano recebemos a resposta que o nosso processo havia sido DEFERIDO, ou seja, recebemos a Habilitação de Adoção. Desde então, estamos grávidos do coração! Este termo “Gravidez do Coração” é bastante utilizado pelas famílias adotantes, e nós também usamos, porém na prática, percebemos que não somos vistos desta forma. Como as pessoas não vêem uma barriga crescendo, as ecografias, os enjoos, etc, fica difícil ver e tratar-nos como grávidas. Mas na realidade, esta espera não deixa de ser uma gestação, e na maioria dos casos é bem mais longa do que os 9 meses. Por este motivo, tomei coragem e iniciei este blog, onde pretendo relatar as experiências da minha atual gravidez do coração e das próximas que virão. Além disso, desejo muito ajudar de alguma forma as mulheres, casais e famílias que enfrentam a mesma angústia da espera, a incompreensão, as dúvidas, os anseios, os preconceitos, e, compartilhar, o que fazemos para continuar vivendo um dia após o outro no meio deste turbilhão de emoções.

Desejo que este blog seja um instrumento de apoio na sua vida.

Se você quiser entrar em contato direto comigo, segue email luciane@gravidezinvisivel.com

Com amor, Luciane

perfil 012011

 

 

Anúncios

47 comentários sobre “Contato

  1. Que sejam sempre abençoados os filhos do teu coração! A Graça e o Amor do Pai são tesouros semeados no teu coração! Nossa como é linda tua Alma!

  2. Adorei, Lu! Parabens pelo blog, pela honestidade, pela perseverança. Desejo à vocês tudo de bom e que esta criança traga muita alegria para a vida de vocês. Vou te acompanhar por aqui. Beijão.

    • Obrigada Marília! Não foi fácil me expor, mas acredito que muitas famílias passam pelo que estamos passando, e nada melhor do que um espaço para compartilhar durante esta “gestação” sem data marcada de “parto”. As angústias são muitas, mas com certeza serão compensadas num breve futuro. Beijos. Lu.

  3. Lú,
    Parabéns pelo blog e por estares incentivando outras pessoas a terem a mente aberta para um ato tão lindo quanto adotar uma criança, independente de qualquer motivo…
    Tenho certeza de que seus filhos serão muito amados e felizes, espero que o processo corra bem e que logo possa estar compartilhando conosco sobre isto…
    Beijos, Shana

    • Oi Shana! Com educação vamos conseguindo avançar para o entendimento de que filho é filho, independente da forma como chegou na família. Gosto muito da frase do psicólogo Luiz Schetinni Filho: ““Todos os filhos são biológicos e todos os filhos são adotivos. Biológicos, porque essa é a única maneira de existirmos concreta e objetivamente; adotivos, porque é a única forma de sermos verdadeiramente filhos.”

  4. Que amorrrr! Que Deus ilumine vcs e que este amor transbordante encontre logo a criança que irá chegar, pois ela merece pais como vcs. Força! Ele logo, logo vai chegar. É muito amor a esperar esta criança. Beijocas e parabens pelo blog, pais de coração.

    • Obrigada Taize!! Realmente é um amor que não tem explicação, de alguém que você nunca viu, nem ao menos sabe se já nasceu, mas já está sendo “gerado” no seu coração! Só Deus pra nos proporcionar experiências como essa! Seja sempre bem-vinda! Beijos, Lu

  5. bom dia Luciane, amei o teu blog, somos pais do coração ha 02 meses, adoção tardia, o nosso filho tem 08 anos e é um presente de Deus para as nossas vidas, passei por uma gestaçao do coração onde as pessoas nao viam uma barriga crescer mas eu sentia o meu coração gigante, todas as ansiedades de uma gestante eu tive, fiquei emotiva, ansiosa em conhecer o rostinho do nosso filho, preocupada com o dia do “nascimento”…ele “nasceu” com 08 meses de gestação…iniciamos o processo em janeiro e pegamos a guarda dele em agosto, exatamente uma semana antes do meu aniversario… desejo a vc e a todos os casais que estao na fila para adoção um periodo abençoado de “gestação”….

    • Oi Estela! Que lindo saber que vcs já estão com o filho de vcs! Que presentão de aniversário, Deus é maravilhoso! Você escreveu exatamente o que sinto, a barriga não cresce mas o coração tá gigante! Muito obrigada por compartilhar aqui tua história! Fique à vontade para escrever sempre! Beijos com amor, Luciane.

  6. Lindo Lulu, parabéns e obrigada por compartilhar esta linda história de vida de vocês! Continuamos em oração e creio que a vontade de Deus sempre prevalecerá na vida de vocês! Beijos

    • Oi Cy! Pois é não é muito fácil se expor, mas quando pensamos que mais pessoas estão enfrentando essa gravidez sem prazo indeterminado e talvez confusas sem entender o que se passa dentro delas, compartilhar o que estamos vivenciando é apenas uma forma de tentar ajudar outras famílias como a nossa…. Obrigada pelo apoio de vcs! Com amor, Lulu.

  7. Lulu, conhecendo vocês não temos dúvida alguma do sucesso que vcs obterão nessa mais nova “empreitada da vida”! O amor entre vocês é tão intenso, completo, verdadeiro que vai se multiplicar com a chegada desse bebê! Sorte terá esse pequeno ao conhecer duas pessoas tão espetaculares como você e o Filipe! Ao chegar ao mundo, ele dirá: “obrigado, meu Deus, por me agraciar com esses pais, hoje sou completo e feliz”!!!
    Amamos vocês!
    Vívian, Marcelão e João Pedro (que torce pela chegada de uma menina)

    • Ví querida! Não sabemos o tempo certo da chegada do nosso baby mas certamente será no tempo certo de Deus, né! A ansiedade é real, por isso queremos muito ajudar outras famílias durante esta “gestação invisível”! Volte sempre! Obrigada linda! Beijos, Lulu.

  8. Lú, me emocionei ao ler seu blog. Pelo pouco que convivemos juntos, sabemos o quanto vcs são especiais e ficamos muito felizes por esta gravidez invisível! Estamos na expectativa junto de vcs, esperamos em breve conhecer esse bebê que já é amado e tão esperado. Vcs verão, filho é realmente uma dádiva maravilhosa do Senhor! Amamos vcs! Saudades Sarah e Genison

        • Que honra e injeção de força que tu mé dá hein, Peps? Meu primeiro exemplo de adoção gravado aqui, conforme escrevi nos agradecimentos. Na verdade, sem palavras pra expressar minha eterna gratidão pelo que vocês realizaram e representam na minha vida. Obrigada por tudo hoje e sempre. Com amor, Lulu, do Rancho CaGuiLu rsrs.

  9. Lu,
    Tenho certeza que Deus está preparando este nascimento, é uma gestação longa, mas podem acreditar que este filho virá, assim como veio para nós. Dia 16/10 fez um ano que o Cris está conosco, posso compartilhar que todas as tristezas acabaram, é uma benção!!!! Também ficamos seis anos esperando este sonho se realizar, por isso, entendemos perfeitamente o que vocês sentem. Podem contar com a nossa amizade e apoio.
    Com carinho,
    Lu Reinke (tua vizinha)

    • Oi Lu,
      Bom saber que a ansiedade da espera uma dia passa!
      Vocês tiveram 6 anos de espera… e daí chegou este príncipe!
      Se quiser contar tua história aqui no blog, será muito bem-vinda!
      Obrigada pela força e apoio.
      Deus abençoe muito sua família!
      Beijos, Luciane

  10. Oi amore fiquei sem palavras ao ler tua história. Torço pela felicidade de vcs e desse baby que vai chegar. Creio que o Senhor vai apressar a concretização dessa linda gravidez. Desejo muitos momentos felizes pra vcs como família bendita do Senhor. “Herança do Senhor são os filhos” e ele tem essa herança preparanda pra vcs. Beijo no coração. Deus abençoe vcs.

  11. Bom dia Luciane! Acabei de ver a sua palestra no Conadote! Parabéns! Eu sou mãe do coração há 5 meses de um menino de 7 meses. Sou advogada, solteira e tenho 46 anos. O tema não poderia ser mais propício, sei exatamente o que é uma adoção invisivel e ainda solteira. A chegada do meu bebê também foi algo muito especial. Quando eu estava “gravida” tive acesso a alguma literatura, mas somente no final comecei a entrar nos grupos de adoção no facebook e descobri um “mundo”. Gostaria de poder contribuir com a minha experiência. Conte comigo! Patricia

  12. Boa tarde Luciane. Desculpe.. sou nova aqui e não consegui localizar se seu filho já chegou… tem algum post que fala os detalhes, qto tempo demorou, etccc?

  13. Oi Luciane. Estou emocionadíssima com cada coisa que leio aqui… Ainda não fomos no fórum. Decidimos muito recentemente a adoção (semana passada). E tudo que leio é pra mim. Obrigada pelo carinho… e por este blog tão lindo e cheio de esperanças para essas mães gravidas do coração. Em breve serei mais uma :-). Beijos.

  14. Oi gurias tudo bem ? Achei um texto lindo em um blog e gostaria de compartilhar com vcs ! Chorei lendo (chorar não é nenhuma novidade para mim) rsrs então aí vaaaiiii

    Quando eu falo a palavra gravidez o que vem à mente de quem lê: uma mulher com uma barriga enorme!
    Sempre relacionamos palavras a imagens, entretanto as palavras nem sempre relacionam exatamente a apenas uma imagem. A palavra ‘banco’, por exemplo, sem nenhuma outra referência pode remeter a um banco de jardim embaixo de uma árvore numa praça ou a um banco financeiro. A imagem vai depender do foco de quem está lendo certo? Nem sempre!

    Com a palavra gravidez é assim: você lê a palavra e a imagem é de uma mulher barriguda. Não tem como fugir disso, entretanto se falarmos em esperar um filho a figura associada muda? Para a maioria das pessoas não!
    Quando eu digo que estou esperando mais um filho as pessoas me perguntam de quantos meses eu estou. Se eu falo que são, aproximadamente, 48 meses as pessoas mudam de assunto. Não sei, mas acham que estou debochando, entretanto eu estou esperando outro filho há aproximadamente 48 meses mesmo!

    A sociedade ainda não assimilou o sentido de esperar um filho, de estar grávida do coração. Por conta disso podemos esperar nossos filhos por 3, 4, 5, 10 anos e quando eles chegam é como se tivessem aparecido por encanto, assim ‘do nada’.

    Vamos fazer uma analogia: gravidez biológica x gravidez do coração.
    Na gravidez biológica a barriga cresce e, via de regra, dura 9 meses ou 42 semanas! Todo mundo participa, compartilha da felicidade da futura mãe, ansia pelo momento de ver a carinha do bebê, sonha com o momento de poder visitar, planeja presentes e tal. Essa é a parte social: amigos, parentes, colegas de trabalho, vizinhos, todos se envolvem com a barriga, todo mundo sempre tem algo positivo ou alguma recomendação para dar sobre o bebê e isso é legal, afinal de contas uma nova vida que chega é sempre motivo de festa. Como diz a famosa marca de fraldas: é um pequeno milagre que vem ao mundo!
    A mulher grávida fica sensível pela mudança hormonal e também pela mudança real que terá em sua vida e família em poucos meses. Terá uma pessoa a mais em casa, uma pessoa totalmente dependente dela e ela passará a ter que zelar pela saúde e bem estar desta pessoa! A mulher grávida sente felicidade por estar grávida, mas conforme a barriga vai crescendo ela sente ansiedade, medos dos mais variados, tem sonhos sobre como será o seu bebê, que carinha vai ter. Tem fantasmas que povoam sua mente: como será quando chegar o momento? vai dar tudo certo? o médico estará disponível?, o hospital terá estrutura suficiente se o bebê tiver algum problema?, ele terá saúde?, terá todos os dedinhos? e se não chorar na hora que nascer? e se não me mostrarem e depois trocarem meu bebê? e se depois que chegar em casa eu não souber cuidar? e se eu não conseguir amamentar? e se o leite for fraco? e se…e se…e se? Na cabeça de uma gestante, por mais que ela se cerque de todas as garantias e tenha certeza que está tudo certo passam todas essas perguntas e muitas outras mais.

    Na gravidez do coração a barriga não cresce, o tempo de espera é indeterminado, praticamente ninguém participa da felicidade da futura mãe, pouquíssima gente se lembra que ali naquela família em algum momento vai haver uma criança nova para ser visitada. Colegas de trabalho, vizinhos, amigos e conhecidos: quase ninguém se envolve com a mãe na espera e mesmo assim, como diz a famosa marca de fraldas, este filho, assim como o biológico, é um pequeno milagre que vem ao mundo!
    A grávida do coração fica sensível também. Para ela não existem mudanças hormonais, mas as mudanças emocionais são tais e quais as da grávida biológica: ela sabe que terá uma pessoa a mais em casa, uma pessoa totalmente dependente dela e ela passará a ter que zelar pela saúde e bem estar desta pessoa! A mulher grávida do coração sente felicidade por estar esperando um filho, e mesmo sem barriga crescendo ela sente ansiedade e medos dos mais variados, tem sonhos sobre como será o seu filho que pode não ser um bebê, tenta imaginar que carinha vai ter. Tem fantasmas que povoam sua mente, também: como será quando chegar o momento? vai dar tudo certo? o fórum ai demorar para ligar?, o abrigo estará cuidando bem da criança?, será perfeitinho? e se não gostar de mim?, e se depois que chegar em casa eu não souber cuidar? e se eu não conseguir alimentar? e se…e se…e se? Na cabeça de uma grávida do coração, por mais que ela se cerque de todas as garantias e tenha certeza que está tudo certo passam todas essas perguntas e muitas outras mais.

    É possível perceber que existe uma diferença fisiológica grande entre a grávida biológica e a grávida do coração, entretanto na parte emocional não é muito diferente, salvo algumas peculiaridades inerentes a um estado e a outro.
    Mesmo para se engravidar, seja biologicamente, seja do coração existem alguns caminhos muitos semelhantes:
    – grávida biológica antes planeja o filho, para com o contraceptivo, engravida e espera.
    – grávida do coração antes planeja o filho, preenche um monte de papéis, entrega no fórum e passa por processo de avaliação (fase de parar os contraceptivos e engravidar!), se habilita (engravida!) e espera.

    Se por um lado na parte emocional não existe muita diferença, na parte social existe um abismo!
    Uma grávida do coração não ganha um filho ‘do nada’! Ela faz uma espécie de pré-natal no fórum que não é para garantir a saúde da criança e um bom parto, mas sim para terem a certeza de que ela tem saúde física e mental para ter a criança. Ela passa por uma espera tão angustiante quanto a da grávida biológica entretanto a espera dela tem prazo para começar e não tem prazo para terminar.
    A grávida do coração não recebe paparicos, salvo excessões não ganha mimos para o filho e não tem muito direito de falar sobre suas ansiedades sob pena de ser taxada de obsessiva e só falar nesse assunto. Isso na melhor das hipóteses, porque se para a grávida biológica todo munto tem algo positivo para falar sobre o filho vindouro, para a grávida do coração boa parte dos conselhos são temerários!
    A grávida biológica pode reduzir seu grau de ansiedade descobrindo o sexo do bebê para fazer o enxoval e o quarto, a grávida do coração sequer pode fazer enxoval a menos que tenha um perfil muito restrito, o que aumenta muito sua ansiedade.

    Com essa analogia quero orientar o seguinte:
    1. quando souber que uma pessoa está esperando para adotar, lembre-se que a barriga não está crescendo, mas esta pessoa está grávida emocionalmente tanto quanto uma que carrega o filho na barriga;
    2. O filho recém-chegado de uma mãe do coração não surgiu ‘do nada’! Ela possivelmente esperou muito mais tempo do que uma gravidez biológica regulamentar;
    3. Toda grávida precisa de atenção com relação à sua espera e com a grávida do coração não é diferente.
    4. A grávida do coração não é obsessiva, ela tem um grau de ansiedade um pouco maior porque sua espera é um pouco maior também;
    5. Quando uma pessoa opta pela adoção ela está envolvida com a chegada de um filho e é crueldade com o seu emocional discursos preconceituosos sobre a origem da criança e seu possível futuro tenebroso. Ninguém cogita com uma grávida biológica que o filho dela pode vir a ser um marginal, um bandido, que possa matar toda a família num acesso de revolta ou de ingratidão e ninguém tem garantias que isso não vá acontecer com um biológico, nem tampouco que vá acontecer com um adotivo!

    Blog : http://adocaoamorverdadeiro.blogspot.com.br/2012/10/gravidez-o-que-acontece-quando-barriga.html

    Espero que gostem ,um beijo .

  15. Oi , Luciane muito lindo teu blog parabéns pela tua disposição em compartilhar experiências que tant o nos ajudam.Olha só meu filho hoje tem 6 anos mas nasceu em nossa família aos 8 mesinhos e é tudo pra nos, eu sempre me preparei ou pensei estar preparada pra contar pra ele quando ele mostrasse interesse e duvidas mas o tempo foi passando e as perguntas não vieram e comecei a achar cada vez mais difícil a abordagem, mas agora com 6 anos elas começaram eu já havia falado pra ele q há filhos q nascem da barriga e outros do coração mas ele na época não deu muita atenção mas agora tenho tido q desconversar pra falar a verdade realmente não sei como dizer sem correr o risco de magoar de alguma forma, tenho medo q ele se sinta diferente ou sei la sabe, ele é muito meiguinho e sensível , e estou a procura de livros q contem histórias de adoção de forma bem lúdica q não enfatize tanto os pais biológicos muito menos a parte juridica como encontrei, gostaria de saber se tens alguma dica pra me dar pois moro no interior e a única livraria daqui só encontrei o livro A familia de Flora mas não era exatamente o q procurava, e se tiveres tbm sugestões de como posso falar com ele te agradeço pois eu e o pai dele estamos muito receosos com a reação dele.bjos pra ti e tudo de bom, e obrigada por esse cantinho, Josi

    • Oi Josi, obrigada pelo seu carinho. O que tenho lido e conversado com psicólogos e profissionais da área é a a verdade deve ser contada desde sempre com naturalidade, as crianças compreendem com mais facilidade que nós. Você não deve demonstrar apreensão ao falar sobre adoção, deve ser algo natural pra vcs e pra ele, pois a criança pode não compreender tudo o que você fala, mas ela sente tudo. Tem um livro maravilhoso da Lidia Weber para vcs como pais, “adote com carinho” da Editora Juruá (https://www.jurua.com.br/shop_item.asp?id=22245) e para ele, segue uma relação de livros que encontrei neste site: http://www.portaldaadocao.com.br/livros/infantis Desejo a vc boa sorte. E não tenha receio de conversar com ele. É muito melhor que esta conversa parta de vcs que são os pais do que ele fique sabendo por outra pessoa, isso quebra o vínculo de confiança. E comece a falar o quanto antes, e com naturalidade. Se vc quiser conversar com a psicóloga que apoia o nosso blog, envia um email pra ela livia@gravidezinvisivel.com ela tem vários textos publicados na coluna Psicologia e Adoção aqui no blog. Beijos e boa sorte! Luciane

  16. Lu, parabéns pelo blog. Também estou gravida ❤ , e tem sido um suporte bem bacana acompanha-la pelo face. Uma sugestão: já que as camisetas tem sido um sucesso, varie mais as cores, assim podemos ousar mais no estilo ; ) … e confeccione mais keep calm, pelamor … quando fui comprar tinha esgotado. Bjs.

  17. Oi Luciane ,eu e meu marido já faz 4 anos que estamos na espera já passamos por todos os processos de adoção e até agora nada,fico muito anciosa com esta demora,por que eles fazem isto com a gente se tem tanta criança pra serem adotadas não é?bjs.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s