Chocante reportagem sobre adoção – SBT Reporter – realidade do Brasil!

Estimados leitores,

Achei no youtube uma reportagem bem completa sobre adoção que foi preparada pelo SBT Reporter em 2012.

Eu não tinha assistido ainda e foi emocionante conhecer histórias tão lindas de superação de preconceito e barreiras para construção de uma família com amor e respeito. Também foi chocante acompanhar a realidade de muitas mulheres usuárias de drogas que muitas vezes nem se dão conta que estão grávidas. Muitos exemplos e a realidade do nosso país com os chamados “filhos do crack (dos usuários de drogas)”, vale a pena dedicar um tempo para assistir. A reportagem também aborda da questão da destituição do pátrio poder e processos de adoção.

A demora no processo também se dá pela falta de equipe técnica nas varas da infância e juventude tais como juízes, funcionários, psicólogos e assistentes sociais. Sabe quanto o governo de SP destinou de investimento às varas da infância e juventude em 2012? Pasmem!!!!!!!!!!! R$ 10,00 (Dez reais)!!!!!!!!! Isso é INACREDITÁVEL!!!!!!!! Não consigo acreditar neste descaso e falta de respeito com a VIDA…. tem outra descrição pra isso? Meu Deus, a que ponto chega a incoerência e a irresponsabilidade dos que decidem o direcionamento de dinheiro público, dos impostos que pagamos? Quanto dinheiro investido em campanhas eleitorais? Se todo esse dinheiro fosse revertido para os que precisam, as campanhas seriam desnecessárias. Façamos nós, cidadãos, uma campanha! Senhores candidatos, nos mostrem os verdadeiros frutos do seu trabalho, e terão o nosso voto! O objetivo é a candidatura e o poder ou representar a população e seus interesses? Sinceramente não sei como que colocam a cabeça no travesseiro…. não estou aqui generalizando, acredito que existam bons políticos, mas por favor, R$ 10,00???? Este valor não paga nem um café que tomam na cafeteria mais chique de São Paulo!

Brasil, acorda! Enquanto educação, saúde, segurança e família não estiverem no topo da lista como prioridade para os administradores do dinheiro público, será que podemos chamar de governantes?, este será o resultado. Triste, muito triste. Graças a Deus pelas pessoas que lutam contra à maré, voluntariamente, como os grupos de apoio à adoção, ongs, institutos, igrejas, e pais que já adotaram seu filhos e lutam por progresso nos processos de adoção. A revolução virá dos “invisíveis”, daqueles que estão por trás das cortinas, lutando com suas próprias forças pela VIDA do seu próximo.

art182

SBT Repórter – Adoção – Parte 1

SBT Repórter – Adoção – Parte 2

SBT Repórter – Adoção – Parte 3

SBT Repórter – Adoção – Parte 4

ECA – Lei nº 8.069 de 13 de Julho de 1990

Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. 

Art. 18. É dever de todos velar pela dignidade da criança e do adolescente, pondo-os a salvo de qualquer tratamento desumano, violento, aterrorizante, vexatório ou constrangedor.

Vocês já tinham assistido? O que acharam? Aprenderam algo novo com a reportagem? Compartilhem conosco.

Beijos, Luciane

Anúncios

Filha adotiva salva vida do pai com transplante em Minas Gerais

Chance de compatibilidade era menor que 1%.
Pai adotivo tinha uma doença hereditária degenerativa.

 

Homero, Rebeca a filha e o marido (Foto: Arquivo Pessoal)
Homero, Rebeca a filha e o marido (Foto: Arquivo Pessoal)

Para a família Magalhães, de Governador Valadares, Minas Gerais, o mês de agosto é de dupla comemoração, uma pelo dia dos pais, neste domingo (10), e outra pela nova vida do pai Homero. Há 9 anos ele recebeu um grande presente da filha adotiva Rebeca, um rim e uma melhor perspectiva de vida.

Homero Magalhães, de 62 anos, é pai também de outros dois filhos adotivos Henrique e Hannah. Como ele tinha um problema de fertilidade, optou pela adoção em vez da inseminação artificial há 29 anos. Mesmo realizando um sonho e se tornando pai o melhor presente ainda estava por vir.

Homero Magalhães (Foto: Arquivo Pessoal)Homero Magalhães (Foto: Arquivo Pessoal)

Entre os anos 2000 e 2004, Homero teve uma doença hereditária degenerativa, os rins funcionavam apenas 18% e em 2005 a situação se agravou, os órgãos chegaram a ter um funcionamento de apenas 13%. Com isso, ele ficou na fila de um transplante durante um ano e meio. Foi então que a família descobriu que a filha Rebecam com 20 anos na época, mesmo não tendo parente biológico, era compatível, para a surpresa de todos.

A data do transplante foi no dia 26 de agosto de 2005. O presente em comemoração ao dia dos pais daquele ano chegou alguns dias depois, mas para Homero foi o melhor presente que um pai poderia ganhar, uma vida nova.

”A parte dela me deu uma vida nova. Eu a considero como minha mãe espiritual. Meus filhos são uma bênção, o melhor presente que Deus me deu. Aprendi a amar as pessoas e passei a enxergar que temos uma missão na terra, e isso é para o nosso crescimento”, diz Homero.

Rebeca conta que resolveu doar um dos rins porque não aguentava mais ver a situação do pai. ”Meu pai é uma pessoa muito amorosa e feliz e a doença comprometeu a alegria de viver dele. Ele queria trabalhar, mas não conseguia e voltava pra casa chorando”.

  •  

Homero acompanhado dos três filhos adotivos Rebeca, Hannah e Henrique.  (Foto: Arquivo Pessoal)

Homero acompanhado dos três filhos adotivos
Rebeca, Hannah e Henrique.
(Foto: Arquivo Pessoal)

O pai resistiu a ideia do transplante no início, mas acabou aceitando o  apoio da filha. Depois de uma bateria de exames em Belo Horizonte, descobriu-se que os dois eram compatíveis. ”Uma filha biológica tem 25% de chances de compatibilidade. Para uma outra pessoal sem grau de parentesco biológico as chances caem para menos de 1%. Mesmo assim deu certo! De alguma forma sinto que pude retribuir todo o amor que ele me deu através dessa doação”, afirma Rebeca.

De lá para cá foi só felicidades para o pai. Henrique de 25 anos se formou em direito, já Hannah de 22, estuda fisioterapia e Rebeca se formou em psicologia e exerce a função no mesmo hospital onde Homero trabalha. Hoje Rebeca já é mamãe, mais um presente para o ginecologista, e agora avô.

”O dia dos pais é de muita alegria pra mim, porque é presente atrás de presente na minha vida, pelos meus filhos”, diz.

Com tanta felicidade como pai, Homero se diz realizado com os filhos e afirma, sendo do mesmo sangue ou não, o amor é incondicional. ”Vale a pena ser pai de qualquer maneira, sendo biológico ou não”, finaliza.

Fonte: http://g1.globo.com/mg/vales-mg/noticia/2014/08/filha-adotiva-salva-vida-do-pai-com-transplante-em-minas-gerais.html