Vídeo sobre o parto do coração – “Primeiro encontro – A adoção é linda”?

O parto do coração é tão cheio significado e beleza que me emociono sempre. O meu foi inesquecível!

Você já assistiu esse vídeo “Primeiro encontro – A adoção é linda”? Você não pode perder 😉

http://adoption.com/first-meeting-adoption-beautiful/

Anúncios

O melhor tipo de parto

O melhor tipo de Parto

Escrito por Renata Palombo
Fonte: Google Imagens
Cenário: Salão de Cabelereiro

Personagens:  Eu, esperando a minha vez de cortar o cabelo
                           Cabelereira, cortando os cabelos de outra cliente
                          Outra Cliente, tendo seus cabelos cortados
Cena:
Cabelereira: Como está sua irmã? Ela já decidiu que tipo de parto quer?
Eu: Tá bem. Ela diz que quer parto normal.
Outra cliente: Parto normal é o melhor!
Cabelereira: Parto normal é melhor pra quem?
Outra Cliente: Pra mãe, pro bebê… pra todo mundo!
Cabelereira: Pois pra mim não foi. Meu primeiro parto foi normal e só Deus sabe o quanto eu sofri… foi horrível pra mim e pro bebê.
(Adendo: esse primeiro parto citado foi um parto bastante problemático e o bebê faleceu com poucos dias de vida, mas a outra cliente não sabia disso).
Outra Cliente: Meus dois partos foram normal e foram maravilhosos. Em pouco tempo você já está andando, não sente dor, a recuperação é muito rápida e o bebê nasce mais fortalecido.
Cabelereira: Pois meu segundo parto foi cesárea e foi maravilhoso. Eu não senti absolutamente nada. E dizem que a recuperação é dificil, pois a minha não foi… senti pouca dor e logo já tinha retomado todas as minhas atividades. Pronto!!! Veja se ficou bom o corte (colocando um espelho atrás da cabeça da outra cliente)
Outra Cliente: Ficou muito bom. Obrigada. (Levantando-se da cadeira e batendo com as mãos na roupa para eliminar os pedaços de cabelo).
  
Eu participei desta conversa ativamente apenas no comecinho, mas enquanto as ouvia “disputando” qual das duas tinha tido o melhor parto, eu fiquei pensando nos meus “partos”. Eu, assim como elas, também tive 2 “partos”, mas os meus não foram nem cesárea e nem normal, porque não foram biológicos. E foram bem diferentes um do outro apesar dos dois terem sido pela mesma via. 
 
Meu primeiro filho foi planejado, desejado e o trabalho de parto durou meses, meses a fio… Eu sentia fortes dores emocionais porque quando eu achava que estava “dilatada” o suficiente para que ele “nascesse” eu descobria que ainda não era a hora e era sempre muito frustrante. Eu tinha medo que ele não “nascesse” e quanto mais os dias passavam mais difícil se tornava a espera. É muito difícil perder um filho que já tem nome, formato, presença… Graças a Deus ele “nasceu” e o processo de recuperação no pós-parto também foi bem doloroso, porque não se sabe muito o que fazer com um filho quando ele nasce.
 
Já  no meu segundo “parto” eu não senti quase que dor nenhuma. Pra falar a verdade eu nem tinha certeza que estava “grávida”, quando eu me dei conta, a minha segunda filha já estava lá… “nascida” me chamando de mãe. Estranho! Estranhíssimo! Mas sem dores, sem “trabalho de parto”, sem sofrimento no pós-parto, sem grandes expectativas… 
 
Em se tratando de partos biológicos, eu sou super a favor, defensora, do parto normal, natural, humanizado… Mas depois dessa conversa toda, fiquei pensando que talvez o normal, natural, humanizado seja respeitar-se, ficar bem, livrar-se da culpa…
 
O melhor tipo de parto, é sem dúvida, aquele que faz a mãe sentir-se melhor, mais segura… É aquele que tem que ser… Não importa se biológico ou não, se cesárea ou normal, se planejado ou no susto…
 
Depois que os filhos estão com a gente, depois que são da gente, depois que o amor cresce em nossos corações a cada dia… a forma como eles chegaram na nossa vida é o que menos importa.