Apoio à Casa Lar Luz do Caminho

Amigos da adoção,

Há tempos estávamos procurando uma instituição de acolhimento de crianças que pudéssemos apoiar diretamente. Recebemos a indicação da Casa Lar Luz do Caminho que fica localizada em Florianópolis-SC. Nosso primeiro contato com eles foi por telefone, conversei com o fundador e presidente da ONG, Maurício Aurélio dos Santos, que foi muito receptivo e agendou conosco um horário para que pudéssemos entregar as doações e conhecer o local.

ebdc69_58358835cda94b2b8a6bda4dd77d8b5b.jpg_srz_p_250_191_75_22_0.50_1.20_0 (1)

Estávamos um pouco ansiosos pois seria a primeira vez que visitaríamos um “abrigo”. Tínhamos receio dos sentimentos que viriam à tona. Sabíamos que não estávamos indo lá para conhecer o nosso filho, mas a ideia de ir até lá e ver de perto a realidade de crianças que vivem em acolhimento parecia intimidadora, afinal passa pela cabeça que o nosso filho pode já ter nascido e vivendo em uma instituição de acolhimento também. Porém, sabíamos da importância de ir até lá para que pudéssemos conhecer o local e os projetos. Chegando lá, fomos recepcionados pela Assistente Social e pelo presidente Maurício. Ele nos apresentou a estrutura e os projetos desenvolvidos pela ONG para o bem-estar das crianças que “vivem” um período de suas vidas ali. Ficamos muito impressionados com a organização, limpeza, estrutura e cuidado com que tudo é realizado. Tínhamos outra ideia de uma casa de acolhimento, mas apesar de todo cuidado e carinho com que eles realizam as suas atividades, não consegui deixar de pensar naquelas crianças que estão ali sem o abraço e carinho de mãe, de pai e família extensa. Meu desejo era de abraçar cada uma e transmitir amor de mãe pra cada um deles. Confesso que percebi que eu não tenho perfil para trabalhar como assistente social, psicóloga ou voluntária pois eu não saberia separar o trabalho do sentimento materno. Admiro ainda mais o trabalho destes profissionais.

A Casa Lar Luz do Caminho é uma associação de caráter filantrópico, sem fins econômicos, voltada para a assistência social e tendo como objetivo acolher crianças de ambos os sexos, de zero a cinco anos de idade, que tendo seus direitos violados e necessitam do acolhimento institucional, segundo determinação judicial. Conheça a história da ONG aqui e sobre os projetos desenvolvidos aqui. Acesse também o Relatório Social da ONG. Link da fanpage no facebook.

Existem várias maneiras de contribuir com a Casa Lar Luz do Caminho para que eles possam continuar desenvolvendo este trabalho:

– Voluntariado: 

Para desenvolver atividades voluntárias na Casa Lar Luz do Caminho você precisa passar primeiramente pelo Curso de Formação de Cuidados com Criança Pequenas, oferecido periodicamente pela própria entidade e destinado a todos os voluntários, tanto os que já desenvolvem atividades na Casa Lar como aqueles interessados a dar início ao trabalho voluntário.

Portanto, você pode entrar em contato conosco por meio do e-mail casalarluzdocaminho@gmail.com ou pelo telefone (48) 3206-9519, demonstrar seu interesse pelo trabalho voluntário e a equipe da Casa Lar lhe informará a data do próximo Curso de Formação e adicionará seu nome na lista de inscritos.

O Curso de Formação acontece nas dependências da Casa Lar Luz do Caminho, com data predefinida, sendo normalmente em um sábado. Após passar pelo Curso de Formação você poderá fazer trabalho voluntário na Casa Lar Luz do Caminho desenvolvendo atividades administrativas, colaborando com a cozinha e com a limpeza da casa, fazendo parte dos mutirões e auxiliando as cuidadoras no berçário.

– Associados:

Um associado é um amigo da Casa Lar Luz do Caminho que contribui mensalmente com valor fixo, por meio de boleto emitido pela CEF pago na rede bancária ou nas casas lotéricas ou transferência programada a partir de R$: 30,00. Para ser um associado da Casa Lar Luz do Caminho.

É preciso preencher a ficha de inscrição que você pode solicitar através do email:

casalarluzdocaminho@gmail.com

– Doações esporádicas:

Contribua a qualquer momento durante o ano todo com a Casa Lar Luz do Caminho, por meio de doações de produtos, como leite especial para o desenvolvimento infantil, fraldas (tamanhos RN, P, M, G, XG), lenços umedecidos, gaze, algodão, produtos de higiene, materiais de limpeza e alimentos em geral. Além disso, a sua contribuição pode ocorrer via depósito bancário na conta da Casa Lar Luz do Caminho.

Caixa Econômica Federal

Agência: 1638

Operação: 003 Conta

Corrente: 1263-3

CNPJ: 12.187.675/0001-70

preencher e reenviar pelo mesmo endereço.

A entidade expedirá um boleto e lhe enviará pelos correios ou por e-mail.

– Destine parte do seu Imposto de Renda:

Outra forma de contribuir com a Casa Lar Luz do Caminho é destinar uma porcentagem do seu Imposto de Renda – tanto Pessoas Físicas quanto Pessoas Jurídicas – por meio do Fundo para a Infância e Adolescência (FIA/FMDCA), que no município de Florianópolis possui o nome fantasia de Floricriança.

O Fundo para Infância e Adolescência (FIA) é um Fundo para captação de recursos destinado ao atendimento exclusivo dos direitos das crianças e adolescentes, por meio de políticas, programas, projetos e ações. Os recursos do FIA provém de destinações de pessoas físicas e jurídicas, através de deduções do Imposto de Renda.

A pessoa física pode destinar 6% do Imposto de Renda por meio do FIA para a Casa Lar Luz do Caminho até o dia 30 de dezembro (ou último dia bancário do ano) ou 3% do Imposto de Renda até o dia 30 de abril. A destinação desses valores pode ocorrer tanto por pessoas físicas que tem Imposto de Renda a restituir, quanto por pessoas físicas que tem Imposto de Renda a pagar.

PARA FAZER A DESTINAÇÃO DO SEU IMPOSTO DE RENDA É NECESSÁRIO SEGUIR OS PRÓXIMOS PASSOS:

O CNPJ do Fundo da Infância e Adolescência é: 18.798.340001-75

Você vai precisar dele para a declaração de rendimentos.

Primeiramente você precisa fazer o depósito identificado no Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente.

FUNDO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Banco do Brasil Agência: 3582-3 Conta Corrente: 9545-1

O sistema vai pedir o identificador, você deve colocar seu CPF ou CNPJ.

Envie o comprovante do depósito, juntamente com seu nome, nº. do CPF, endereço e telefone para o e-mail da Casa Lar Luz do Caminho:

casalarluzdocaminho@gmail.com ou pelos correios para o  nosso endereço.

Depois de recebido o comprovante de depósito, a Casa Lar Luz do Caminho entrará em contato com o Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente para informar e comprovar o depósito realizado para a Casa Lar.

Em seguida, encaminharemos para você o Recibo do valor depositado, o qual será utilizado na sua dedução do Imposto de Renda.

A Casa Lar Luz do Caminho empregará esse recurso no atendimento às crianças acolhidas.

– Mutirões:

Aqui na nossa Casa, sempre precisamos de ajuda nos afazeres domésticos e é por isso que nós organizamos sempre no primeiro sábado de cada mês para receber pessoas que se dispõe a nos ajudar nos nossos mutirões.

São feitos muitos trabalhos, como limpeza, organização, reparos, construções, ajuda com na cozinha e pra quem fez o curso de voluntários ainda podem ajudar cuidando das crianças.

Venha participar conosco, lembre-se todo primeiro sábado do mês das 09:00 as 17:00hs, pode chegar a hora que der e fica até a hora que puder.

Mais informações sobre as doações!!

Quem puder ajudar, pode entrar em contato conosco pelo email luciane@gravidezinvisivel.com ou direto com a ONG.

Com certeza qualquer tipo de ajuda será bem-vinda!

Grande beijo,

Luciane & Filipe

Indicação de livros para leitura com o papai e a mamãe

Queridos,

Nas minhas buscas por todos os materiais da lista da escola, encontrei estes dois livros numa papelaria. Achei de uma delicadeza a forma como ele “leva” o pequeno (a) leitor (a) para um momento de intimidade com o papai ou com a mamãe. Comprei os dois e recomendo!

LEITURA COM A MAMÃE

20150207_161541[1]

20150207_161548[1]

LEITURA COM O PAPAI:

20150207_161601[1]

20150207_161612[1]

Beijos com carinho, Lu ❤

Amor do pai é uma das maiores influências da personalidade da criança

Que o amor materno é fundamental para a vida de qualquer criança, não temos qualquer dúvida. Aliás, em pleno século XXI, nossa cultura ainda coloca sob responsabilidade (quase que exclusiva) da mãe os cuidados com os filhos (é uma criança que faz birra? Que bate no amiguinho? Que vai mal na escola? “A culpa é da mãe”, não é assim que ouvimos comumente por aí?).

Mas como fica o papel do pai nessa história? Pois um estudo recente mostrou que ele é fundamental na formação da personalidade da criança, e como ela desenvolverá diversas características até a idade adulta. Pesquisadores da Universidade de Connecticut, nos EUA, demonstraram que crianças de todo o mundo tendem a responder da mesma forma quando são rejeitados por seus cuidadores, ou por pessoas a quem são apegadas emocionalmente. E quando essa rejeição é do pai, diferentemente do que muitas pessoas acreditam, ela causa marcas profundas.

amor-de-pai

Segundo os estudiosos, que avaliaram 36 trabalhos envolvendo mais de 10.000 pessoas, entre crianças e adultos, a rejeição paterna tem essa influência tão marcante porque, em primeiro lugar, é mais comum do que a materna. E também porque a figura do homem é associada a prestígio e poder – ou seja, para a criança, é como se ela tivesse sido esquecida ou preterida por alguém que todos consideram importante.

Agora vem a parte mais triste: o estudo mostrou que as crianças sentem a rejeição como se ela realmente fosse uma dor física. As partes do cérebro ativadas quando um pequenino se sente rejeitado são as mesmas que se tornam ativas quando ele se machuca, com uma diferença: a dor psicológica pode ser revivida por anos, levando à insegurança, hostilidade e tendência à agressividade.

A boa notícia é que um pai presente e carinhoso tem exatamente o efeito contrário na formação da personalidade do filho: o pequeno cresce feliz, seguro e capaz de estabelecer ligações afetivas muito mais facilmente na vida adulta. Se o pai do seu filho é exatamente assim, compartilhe o post com ele – tenho certeza de que ele adorará saber disso!

Fonte: http://www.mildicasdemae.com.br/2015/02/amor-pai-e-uma-das-maiores-influencias-da-personalidade-da-crianca.html

Enjôos da gestação do ♥

Esta semana comecei a sentir os enjôos da minha segunda gestação do coração. Na minha primeira gestação do coração estes enjôos começaram “coincidentemente” 9 meses antes do meu primeiro filho nascer. (Constatei isso relendo o meu diário, leia este post neste link).

Para alguns pode parecer bobagem, estranho ou até mesmo loucura, mas o fato é que quando estamos numa gestação do coração os “enjôos” também acontecem, só que de uma forma diferente. Eles aparecem na forma de A-N-S-I-E-D-A-D-E. A ansiedade é tão grande que me deixa enjoada e até mesmo um pouco tonta. Preciso me concentrar na minha respiração e controlar as emoções que estão fluindo no momento para que o enjôo passe. E muita oração….!

Segundo o dicionário Aurélio, ansiedade significa:

1 Comoção aflitiva do espírito que receia que uma coisa suceda ou não.
2 Sofrimento de quem espera o que é certo vir; impaciência.

Já o significado de enjôo é:

1 Mal-estar em que predomina a vontade de vomitar.
2 Náusea.
3 Tédio, repugnância; nojo.

Ou seja, esta comoção aflitiva do espírito que receia que o nosso filho chegue logo, gera impaciência, que por sua vez gera mal-estar e até mesmo náusea. Sim! É isso mesmo que eventualmente acontece comigo durante a gestação do coração.  Mais alguém passou por isso? Tem um trecho de uma música do Lulu Santos que cabe perfeitamente aqui, “Pode até parecer fraqueza, pois que seja fraqueza então…” 

images

Pior é quando imaginamos que nosso filho já nasceu e está por aí em alguma instituição de acolhimento, aguardando que a equipe técnica faça a busca por alguém da família extensa (biológica) tenha interesse na adoção, ou então aguardando que o seu processo de destituição de pátrio poder dos genitores seja concluído… é muita angústia pra uma mãe ou um pai ficar pensando nestas situações e não conseguir fazer NADA afinal ainda não encontramos pessoalmente o nosso filho, não sabemos a sua identidade e não podemos lutar por ele para que o seu DIREITO DE VIVER EM FAMÍLIA COM AMOR E CARINHO seja prioridade.

http://t3.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcQtvP02vcTxMTkaRwh_XaAhW9H6_1AVmAggKCyWPzR1uQ9oaIQLBg

Enfim, os enjôos são mais reais do que parecem, viu?! Não julgue o seu cônjuge, amigo (a), vizinho (a) antes de entender o que se passa dentro do seu coração. Você também passou por isso? Então compartilha com a gente, assim você me ajuda a explicar esta experiência para os outros, além de me ajudar a não ser a única que relata algo assim, podendo até mesmo ser considerada a louca dos devaneios virtuais 🙂 🙂 🙂

Encerro este relato com muito humor 🙂 e amor

Beijos, Luciane

Filho do coração. Isto existe?

Gente, este texto é muito bom. Devemos pensar na forma como falamos com os nossos filhos sobre adoção pois talvez pra gente faça sentido falarmos sobre uma gestação do coração, mas após a chegada deles não precisamos usar o termo filho do coração, ele é filho e ponto final. A não ser que você esteja num momento falando sobre a adoção e como foi a chegada do seu filho. A forma como ele veio deve sim ser explicada mas não precisa toda vez apresentá-lo, “este é meu filho do coração”. Bom, esta é minha opinião, e a sua? Beijos, Luciane


Filho do coração. Isto existe?

filho-do-coração-203x203

Ao dizermos ao filho adotivo que ele é filho do coração estaremos usando um símbolo que nem sempre será entendido por ele.

Todas crianças nascem de um útero e “eu sou diferente : nasci do coração”. A expressão, que sabemos ser cercada de amor e afetividade, estará  gerando confusão na sua cabecinha.

Talvez esta expressão nasceu devido alguma dificuldade dos pais que não sabiam como explicar para o filho a sua adoção. E se espalhou.

A criança não tem a nossa compreensão e isso leva à uma falsa revelação de sua origem.

O nosso filho adotivo quer ser igual aos outros, ser normal. O uso desta fala em vez ajudar só gera dúvidas pois o olhar de espanto dos amiguinhos escolares e outros, mostrará a irregularidade da situação.

Talvez por isso há tantos relatos de crianças,  filhos que passaram pelo processo adotivo, desejam simular um nascimento “ da barriga”.

Assim, se os pais desejarem, acham romântico o uso desta forma de falar que o façam explicando adequadamente que o  nosso órgão propulsor da circulação é usado para representar afeto e que na realidade não tem a forma  dos desenhos de coração que sempre vemos.

Nisso tudo concluímos que é importante dialogar com o filho explicando o fato  dentro do nível de sua compreensão e maturidade.

Boa Sorte no seu diálogo com seu filho!

Fonte: http://adocaosegura.com.br/filho-do-coracao/

Livro >> ADOÇÃO: DUAS MÃES PARA UMA VIDA

Olá queridos,

Gostei muito do vídeo da Sylvia Baldino Nabinger, espero encontrar o livro logo! Assistam, vale a pena!!

A adoção mudou, sendo hoje a construção de uma tolerância ao diferente. Acaba por se traduzir no acolhimento e na aceitação do que é culturalmente diferente, da diferença de etnia, de raça, de grupos sociais. Se antes a adoção seria a solução para encontrar uma criança para uma família, hoje toda a filosofia da adoção tem como eixo central buscar uma melhor solução para crianças que não têm família, mudando radicalmente o parâmetro anterior. Foi nessa perspectiva que os pais da autora se dedicaram a ela e a sua irmã, criando um vínculo de amor e confiança que foi tecido pouco a pouco na intimidade, formando uma verdadeira filiação, uma vez que seus pais se sentiam os verdadeiros pais. Foi muito provavelmente a criação destes laços de família que ofereceram à autora a possibilidade de construir de forma transgeracional a relação com sua filha adotiva. Ela mostra ali o encontro de duas histórias, duas esperas na busca pela felicidade. O testemunho dado pela autora através de suas reflexões mostra que esse encontro é possível e que não tem limites. Tem sim riscos, mas oferece a esperança de que pode dar certo. Certamente é um testemunho encorajador para aqueles que imaginam buscar este caminho. Sylvia Baldino Nabinger

Para adquirir entre em contato:
+55 (51) 3226-8668
vendas@livrosbrasil.com.br

Editora Rígel http://www.livrosbrasil.com.br

****************************************­*************

Adoption has changed and is now building a tolerance to different. Finally results in the admission and acceptance of what is culturally different, the difference in ethnicity, race, social groups. If before the adoption is the solution to find a child to a family, today the whole philosophy of adoption has as the centerpiece for a better solution for children who have no family, radically changing the previous parameter. It was this perspective that the author’s parents were dedicated to her and her sister, creating a bond of love and trust that was woven in the intimacy gradually, forming a true membership, since their parents felt they were the true parents. It was probably the creation of these family ties have offered the author the possibility to build in a transgenerational relationship with his adopted daughter. It shows there the meeting of two stories, two waiting in the pursuit of happiness. The testimony given by the author through his reflection shows that this meeting is possible and that has no limits. Does have risks, but offers the hope that can work. It is certainly an encouraging testimony to those who imagine pursuing this path. Sylvia Baldino Nabinger

Livro >> Conta de novo a história da noite em que eu nasci

Queridos,

Estou há tempos procurando o livro “Conta de novo a história da noite em que eu nasci” na versão em português (original em inglês ” Tell me again about the night I was born”) do autor Jamie Lee Curtis. Procurei em vários sites para comprar mas está esgotado em todos. Tentei contato direto com a Editora Salamandra, ainda não tive retorno, mas se alguém souber onde encontrar por favor me avisa.

Sinopse: O livro conta a história de uma menina que pede para a mãe contar a história da noite de seu nascimento. Uma história que ela sabe descrever em todos os detalhes: o telefonema no meio da noite, o susto, a emoção, a pressa para chegar ao hospital, a viagem de avião… A menina repete de cor esta narrativa, enquanto ilustra, com desenhos e fotos, sua ?árvore genealógica?… Delicado e simples, o livro celebra, com emoção e beleza, a chegada de uma criança, por adoção, em uma família que tanto a espera.

CONTA_DE_NOVO_A_HISTORIA_DA_NOITE_EM_QUE_1311819433P      images

Achei no youtube um vídeo lindo de uma menina lendo o livro, mas está em inglês, para os que entendem o idioma, segue o link:

Também achei a história de uma professora Norma Jaqueline que compartilhou este livro com os alunos e também escreveu este lindo poema para sua mãe:

“A minha mãe é aquela, cujo ventre não habitei
mas no seu colo macio fui amada
A minha mãe é aquela, que o sabor do leite não provei
mas nos nutrientes de seu alimento fui criada
A minha mãe é aquela que o seu DNA não recebi
mas os seus ensinamentos e valores ao meu filho repassei
Dona Flor, minha mãe
minha vida
mãe de amor”

Segue o link para a história dela: http://sentireverbalizar.blogspot.com.br/2010/05/conta-de-novo-hitoria-da-noite-em-que.html

Formato: Livro

Autor: CURTIS, JAMIE LEE

Ilustrador: CORNELL, LAURA

Idioma: PORTUGUES

Editora: SALAMANDRA –

Assunto: INFANTO-JUVENIS

Beijos com carinho, Luciane